01/04/06

olhares... 2

Estávamos em Maio.
O dia amanheceu sorridente. O céu azul sem nuvens. Apenas uma ligeira brisa agitava as folhas das árvores que estavam já com flores de variadas cores, fazendo com que um zumzum de abelhas se ouvisse no ar...
Era um dia igual a tantos outros, um dia de Primavera de Maio. As roseiras estavam já a deliciar os olhares com as suas rosas multicolores. Toda a natureza sorria desdobrando-se em tons dos mais diversos espalhando no ar aromas que nos deleitavam os sentidos.
A meio da tarde, e de repente, sem que nada o fizesse antever, o céu começou a ficar cor de laranja. Olhávamos à volta e tudo estava dessa cor, como se um enorme manto fosse estendido em toda a natureza. Eram as casas, as árvores, as pessoas, até o papagaio cinzento, ficou de repente alaranjado. A natureza calou-se. Um silêncio tumular, como se alguma coisa estivesse prestes a acontecer.
O céu passou de laranja a vermelho, de vermelho para amarelo, de amarelo de novo para vermelho. Tudo se vestiu agora de uma luz irreal, vermelha de sangue. As aves pararam de chilrear. As abelhas calaram-se. As pessoas calaram-se...tudo ficou silencioso...
De repente o céu abriu-se em mil luzes rompendo o firmamento, em mil raios. O ribombar dos trovões era assustador...Parecia que ia desabar o mundo, mas nem uma gota de água caiu!
Fiquei à janela apreciando o espectáculo maravilhoso com que a Natureza pródiga me queria brindar.
Isto durou bem umas duas horas.
De repente, tal como tinha começado, assim tudo acabou! As cores voltaram ao normal! os passarinhos voltaram a cantar, as abelhas a zunir, o papagaio acinzentado, só as pessoas estavam demasiado assustadas para falar, apenas balbuciavam interrogando-se o que teria sido aquilo!
Só eu tinha fico de janela aberta, a apreciar o espectáculo que ainda continua vivo no meu pensamento, preso na minha retina, apesar de terem passado alguns anos!

5 comentários:

Amaral disse...

A magia de um sonho retorna sempre, colorindo as cores, reluzindo a luz, calando o silêncio… Os olhares da natureza que fizeram sorrir o céu…

António disse...

Este estupenda descrição da natureza calma e serena que se transmuta em trovoada medonha, já a tinhas no outro blog, não tinhas?

Beijinhos

PiresF disse...

Pela nossa vida passam coisas (factos e imagens) que de certa forma nos marcam para sempre, e bailam nas nossas recordações, aparecendo e desaparecendo em alturas precisas. Acontece que muitas vezes não prestamos a atenção devida e mesmo assim, em certas circunstâncias lá aparecem um pouco, para nos lembrar de certas situações.
Umas boas outras nem tanto.

Gostei da descrição que fizeste, muito boa, dá para entrar nela.

José S. disse...

A natureza continua, apesar de tudo, a surpreender-nos e está aí, é gratuita, é só desfrutar. Mas cuidado: desfrutar sem respeitar pode trazer (está a trazer) consequências desastrosas.

jorgesteves disse...

A Natureza é pródiga: permite-nos a primeira fila, grátis e silenciosa, do espectáculo que cria para nós. Muitos ficam à porta...
Ainda bem que viu e guardou o bilhete!
jorgesteves
http://www.contextualidades.blogspot.com/