26/03/06

folhas

Sou a folha que se soltou do ramo
que voa ao vento
com rumo, com destino
apanho as outras folhas soltas
que se vão agarrando a mim
e levo-as comigo....

levo-as em minhas fibras, em meus veios
levo-as em mim
e juntas, rasgamos horizontes sem fim!
Vem também, tu que és folha solta
e queres voar
Sair do marasmo, do beco
onde te deixaste prender, atolar
talvez por preguiça, talvez por distração....
talvez por indolência, talvez por falta de visão
Vamos
vamos voar, é só dares-me a tua mão!

8 comentários:

Carlos disse...

queria tanto...

ser brisa , sussurando em teu redor,

ser gota de chuva, caindo no vidro da tua janela,

ser passarito, acordando-te pela manhã,

ser arco-iris no teu céu....

sou apenas,

o grão de areia perdido numa tempestade...

António disse...

Bonito, sim senhora!
Mas não posso deixar de te fazer uma pergunta:
Tens o brevet?
eh eh
Se tiveres, vou!

Obrigado pela tua visita ao Oeste.

Beijinhos

douglas D. disse...

olá!
obrigado pelo que vc comentou lá no blog.
bjo.

TRANCEPHORM disse...

OLA TERESA VIM FAZER UMA VISITA AO TEU NOVO BLOG,ESTA MUITO BOM, DOU TE OS MEUS SINCEROS PARABENS E BOM SUCESSO COM O BLOG E COM TUDO NA VIDA, ADEUS ATE BREVE ...
http://spaces.msn.com/trancephorm/

BlueShell disse...

Lindo...gostei muito! Ainda bem que vim aqui!

Queres um beijito?
***BShell

Amaral disse...

Adorei o teu poema. Um poema feito com o coração. Nenhuma palavra, nenhum verso me parece supérfluo. Quem não é, ou já foi, uma folha solta?...

jorgesteves disse...

Voe!..
(porque, como diz a canção, 'a vida é breve'...)
jorgesteves
http://www.contextualidades.blogspot.com/

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.