21/01/07

dualidade nos contrastes...


O verde frágil revestindo o azul forte...
A natureza ágil recusando a aridez da morte...
A vida subtil que a fria rocha faz fértil.
Num azul céu que da esperança faz véu...
agradeço a gentileza de R.

18 comentários:

as velas ardem ate ao fim disse...

A vida é feita de dualidades:a tua foi linda.

bjos

Jorge P.G. disse...

Bonita descrição da Natureza!

Um abraço.

Belzebu disse...

Lamentavelmente a agilidade da natureza vai perdendo terreno para a aridez da morte! O verde é cada vez menos verde e o azul, já não é assim tanto!

Saudações infernais!

Kaotica disse...

Enquanto houver cores e o poema as pintar, a vida acontece.
Desejo-vos uma magnífica semana!
Abraços!

Kaos disse...

Nesta luya da vida contra o nada a esperança existe enquanto palavras como as tuas poderem encantar os nossos dias.
bjs

Rui Martins disse...

Tb, deixo aqui o apelo para a petição online pela libertação do 1º sargento Luís Gomes e pela alteração da Lei da Adopção que podes assinar aqui:

http://www.petitiononline.com/adopcao/petition.html

Amaral disse...

A dualidade perfeita para uma vivência plena!
No contraste, na diferença, encontramos o Todo!

Plum disse...

Empatia!!!*

Caçador de Palavras disse...

dualidade ou a suprema ilusão de não conseguirmos fazer coexistir a nossa realidade e a do mundo?

;-)

beijinhos

agua_quente disse...

São os contrastes, as dualidades que dão sabor à vida. Uma linda foto e belas palavras.
Beijos

Isa&Luis disse...

Olá,

Espectacular!


Beijinhos

Isa

Bosco Sobreira disse...

Não dá pra ficar muito tempo ausente dessa página, distante da beleza de tua palavra.
Essa poema vai além da beleza, ou a "usa" para dar espaço à pensadora.
Que lindo, minha cara amiga. Que lindo!
Beijo afetuoso.

joão marinheiro disse...

Fantástica foto! Simples e majestosa.
Abraço deste lado do mar com o frio a chegar…

Bill disse...

Natureza mais forte... Somente a dos seus versos...

A mãe terra sempre nos surpreende com suas cores e vida.

:***

olhos cor do lago disse...

A natureza é assim, tenta sempre arranjar uma solução, "nós" é que não....

bjs

PS: Aproveitei que a mafarrica dorme doce, docemente, para vir cuscar a blogosfera...

António disse...

Querida Teresa!
Uma combinação perfeita entre a imagem e as palavras escritas.
Gosto destes teus poemas ou prosas poéticas pequeninas.
Já sabes!

Obrigado pela grande visita à minha livraria de contos.
Espero que tenhas passado uns momentos agradáveis.

Beijinhos

Outsider disse...

"O verde frágil revestindo o azul forte...", há muita verdade nesta frase. :)
Estou a brincar. Mais uma vez um excelente poema. É incrivel como num poema tão pequeno se pode dizer tanto. Mesmo a coisa mais estéril e fria pode dar vida.
Beijos.

Fernanda disse...

Saudade... faz alguns dias que tento comentar aqui, mas não consigo.
Em verdade, acho que a dualidade faz parte da nossa essência. Por isso, sempre tentamos conciliar nossos contrários.
Adoro sempre suas palavras!!
Bjs no coração!