02/01/07

das crianças...


Cruzo as minhas mãos no teu ventre
confiadamente
sonhando um dia ter nele um fruto nosso
e assim ficamos olhando o horizonte que nos pertence
nos prende
nos seduz
nos surpreende
nos conduz
sonhar beijá-lo no dia a dia
em que cresce
deitar-te junto ao mar
e com a minha mão em concha
o mar à nossa vida levar!
Vamos fazer uma criança feliz!...
é tão fácil fazer uma criança feliz!
mas os pais incutem logo nas crianças a ânsia do ter
e elas depois crescem assim...
infelizes porque não têm.
Esquecem-se de ser
educar um menino é algo de muita responsabilidade
é apenas um acto de amor
e não deixar que a criança que um dia fomos, morra
mas sem ser um chavão
é uma coisa que temos que entender
sentir
uma cumplicidade única
e entender que uma criança é um outro ser
independente de nós
na sua complexidade
na sua diferença saudável
a nossa parte é orientá-la
dar-lhe condicões para...
amá-la e dar-lhe asas para voar
ser terreno fértil
onde ela possa florir
livre...
sempre livre
e feliz
entendendo a vida como é
sabendo que tem em nós um porto seguro..
que protege sem asfixiar
que é amigo que ouve
que entende
que compreende
que escuta
sem preconceito
que ensina
que comunica
por gestos
atitudes
com um simples olhar...
foto: 1000 imagens

27 comentários:

Anónimo disse...

Compreendes como ninguem a essência da vida. assim como ser corajoso.. nao é nunca ter medo, mas sim mesmo com medo, ser capaz de fazer o que é preciso.. ser livre.. é ser capaz de em cada momento optar pelo melhor para nós e para os outros.. Amar, acaba por ser essa bela oportunidade de poder ensinar a uma criança a Coragem de ser Livre. o teu texto exprime isso mesmo com todo o vinco da tua sensibilidade...

Jorge P.G. disse...

Lembraste-te das crianças, isto é, das mulheres e homens de um amanhã que já ali vem...
Sem qualquer jactância, que seria pequena e redutora como todas, também me lembrei delas e dos responsáveis pela sua educação em casa. Publiquei n'O Sino da Aldeia uns susídios sobre o tema.
Pena é que não te tenha visto por lá, porque nunca somos demais quando se trata de avisar.

Um abraço e um Bom Ano.

jorge sineiro

ALF O Extasiado disse...

Lindo texto.
Acompanhar e edcuar uma criança é realmente uma responsabildiade enorme.Precisamuito amor e carinho, e acima de tudo vontade. Não basta querermos ter um filho se não soubermos a magnitude o que realmente isso representa.
Belíssima análise.

Um feliz 2007 minha amiga.
um grande beijo

Rui disse...

... se diz tanta coisa.

abraço.

Isa&Luis disse...

Olá querida,

Palavras sábias momento de reflexão.

As crianças é o melhor que existe no mundo.

Beijinhos

Isa

Bosco Sobreira disse...

Minha cara Teresa,
Vim te ver no amanhecer desse novo ano e me deparo com mais uma beleza de Poema. Que seja assim, pelo resto do ano e dos anos que virão.
Um beijo de novo ano!

Kaotica disse...

Bem haja, amiga TB

O poema expressa um ideal de educação urgente de recuperar e de se comunicar. Cada vez mais os pais substituem por coisas os afectos. Como será no dia em que os pais já não tiverem mais coisas para dar e precisarem também eles de afecto?
Um grande grande abraço. Que o ano de 2007 te contemple sempre com mais e mais poesia.

Zé (do beco) disse...

É bem verdade que muito da nossa sociedade de consumo, é fruto da nossa negligência para com os mais novos. Cedemos, facilmente, aos desejos dos nossos filhos. Não queremos que se sintam discriminados face aos colegas e, com isso, só contribuímos para que, no futuro, sejam mais infelizes.
Afinal o Mundo está aí, à nossa volta! De que mais necessitam as crianças?
Beijos.

Kaos disse...

Tão simples e tão belo. deixar florir uma criança é lindo, mas num mundo que não entende isso, que as agride com publicidades e desejos acabamos ou por nos tornar nuns chatos que não lhes damos aquilo que todos os outros têm ou por cair nas malhas de rede e ser iguais a tudo o resto. Fina é a linha em que balanço caindo uns dias para um lado, noutros para o outro. Um equilibrio instável este.
bjs

Drika disse...

Lindo o que escreveu, me trouxe lindas lembranças...há coisa mais pura do que uma criança?
Beijos
e um ótimo 2007

legivel disse...

... um filho desejado só pode ser fruto do amor entre um casal. Ou até de uma adopção. Essa será a condição primeira para o nascimento de um novo ser. Mas convém não esquecer que, a modernidade exige cada vez mais desafios a um casal. Ou seja, por muito que custe aos ouvidos mais puristas, uma criança deve ser planeada pois o seu futuro passa por aí...

beijinhos e um óptimo ano!!

Plum disse...

Deixo-te um sorriso...um sorriso provocado pelas tuas palavras!!!*

Margarida disse...

:) Um excelente 2007!

beijos doces no teu coração

Amaral disse...

Não vou fingir que gostei!
Vou dizer que cada frase é o verso dum hino de embalar, dum hino para adolescentes e adultos. Porque aquilo que solta o ser criança é a liberdade que a criança perdeu...
O "educar" com passados que despertam o ter tem conduzido a humanidade a uma necessidade de mudança...
Eis por que "das crianças" é belo e ensina e é mensagem de amor!...

Um Poema disse...

"Vamos fazer uma criança feliz!...
é tão fácil fazer uma criança feliz!"
LINDO! Tão simples e tão bonito.
Um abraço

eu disse...

Quão sensivel é seu texto, a forma que vc se expressa demonstra a sensibilidade que há em vc !
Olá, vi teu blog na lista da Gb e vim conhecer e me encantei com sua escrita ... Vc esta de parabens !E aproveito p lhe desejar um ano repleto de bençãos, a vc e todos os seus ! beijo grande .

Plum disse...

Bom fim de semana!!!*

Mago disse...

Sim e como poucos conseguem ver isso, como a maioria dos pais insistem em transformar os filhos naquilo que eles queriam ser e não foram, espelham neles as virtudes que nunca tiveram e o futuro que não conseguiram, esquecendo a individualidade do ser que ali se apresenta. Um grande abraço e tudo de bom.

Nilson Barcelli disse...

Fazer uma criança feliz é um acto de amor sublime.
As tuas palavras neste belíssimo poema cantam esse amor.
Beijos.

Dae-su Oh disse...

Não sou muito apologista das crianças, estas conseguem ser tão cruéis e má intencionadas como o adultos, mas como o são, todos acham piada e perdoam facilmente certos actos que são condenáveis.

joão marinheiro disse...

Sabes que tens razão claro.
Não tenho mais palavras são todas tuas e dizem tudo...
Abraço deste lado do mar

=^.^= Tarina =^.^= disse...

As crianças são tudo no mundo...
E como alguns dizem... não há maldade no fazem... elas não são crueis!
São apenas meras vidas á procura da tal vida que está a crescer dentro delas!!!

as velas ardem ate ao fim disse...

Não posso dizer mais nada a não ser lindo.

Nada elhor que num dia triste um sorriso de uma criança para nos encher a alma.


bjinhos

tuga disse...

Parabens . . . Gostei

Outsider disse...

Minha amiga, que belo conselho acerca da educação. nota-se que este poema saiu direitinho da tua própria experiência. Que bonito que está.
Apesar de nos dias de hoje não ser fácil, podemos sempre tentar.
Beijos.

Luiz Carlos Reis disse...

Sejamos como as crianças singelos ícones da pureza!!!!!!Sensível diferença para nobras adultos.


Abraços para tí!

Isa&Luis disse...

Uma mulher que carregava o filho nos braços disse: "Fala-nos dos filhos."
E ele falou:

Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável.

Do Livro «O Profeta» de GIBRAN KAHLIL GIBRAN

Um beijo.
Luis