01/11/06

palavras à solta...2



palavras que saem a 2 vozes...

DO Mar

como o mar...
que encontra em cada praia
um novo mundo...
amo o mar...
em ondas que abraçam a areia
amo-o tambem...
e em que o nosso olhar se perde
e os sentidos se inebriam
um mar que se faz espuma branca
como um brinde eterno ao nosso olhar

batendo na areia
mar que se imola nas rochas...
ou desfazendo-se como bolinhas efémeres
para que possa ser gota que viaja no vento e no tempo...
de luz e brilho
até à nossa face
salpicando-a de sal
dando sabor à nossa pele
temperando o nosso olhar
o nosso sonhar
sussurrando baixinho
numa voz, serena como a foz

e voando, nas asas do vento
onde a calma do rio alimenta a força do mar
murmurado ao ouvido
e onde nos deixamos levar...

um murmúrio que arrepia de tâo doce
que faz de ambos um só sentir...
que inebria, que percorre um frémito
um só sentido
no caminhar... e no sentir

e no gostar
e no amar
e no ver no teu olhar... o maior mar...


foto de olhares

30 comentários:

beija flor disse...

palavras sao soltas. ou estao soltas..
como almas..sao soltas..ou estao soltas?
como anda?? faz tempo q nao venho aki..ando em depressao. me perdoe. querida escritora...quando vc mais gosta d ver o mar? d madrugada.?? t contar d uma experiencia fantastica q aocnteceu comigo. umd ia marcamos d ir a uma festa dançante. eu e mtos amigos meus. deu tudo errado.TODO MUNDO BRIGOU COM TODO MUNDO. menos eu. e um outro amigo meu. outros amigos meus passaram mal. no final..estavamos voltando pra casa...alguem teve a ideia genial de parar na praia pra ver o sol nascer. eu nadei..era umas 5 da manha. achoq vc dvia fazer o mesmo. é uma das mehores sensaçoes do mundo. como se toda miha putridao pudesse ser disfarçada e lavada naquelas águas geladas...
bjoooo

Fernanda disse...

Que vontade do mar... me sinto tão completa quando o contemplo...
Bjs de cá!

PiresF disse...

Amiga Teresa!

Este crescendo constante, em que, a musicalidade aumenta a cada frase, para terminar numa apoteose de sons curtos e precisos, é bem uma forma de deixar o leitor a pensar no que acabou de ler e, com certeza, contribuir para uma nova leitura.

Mais uma vez, o que já se torna um hábito, gostei.

Grande abraço e obrigada pela inspiração.

Outsider disse...

Olá Teresa. Mais um poema Lindissimo!! Como sabes adoro o mar e através das tuas palavras tenho um pouco daquela sensação de paz que sinto quando estou debaixo de água. Obrigado pelos magnificos momentos que passo aqui no teu blog.
Beijinhos.

sa morais disse...

Lembro-me das fogueiras na praia, chamas que se reflectiam nos olhares, enquanto olhavamos a negra vastidão nocturna do mar... Manto de água ameno que tudo aplacava... E mergulhavamos nesse seu sereno silêncio, como se em nós pudessemos mergulhar... e no sossego surgiam milhentas perguntas em que tudo estava em causa, pensamentos que se agrupavam em intermináveis constelações e que pareciam pôr em causa todo o nosso pequeno, mas complexo universo... Esse incrível novo mundo de tantas sensações! Coisas que já esquecemos... Éramos jovens guerreiros de velhas causas feitas de nada. Reis de um grão de areia, mendigos de um qualquer olhar...


jinhos!

a rasar o ceu disse...

e eu calo-me....fico a ouvir o teu Mar.....esplendor!



________________


beijo.

sonia disse...

Belíssimo...beijinho TB.

Bom dia.

Kaos disse...

Já nem sei que mais dizer desta tua poesia cada vez mais cativante. Adoro esta tua ideia de nos dares diversas leituras dentro de um só poema.
Fantástico.
bjs

Isa&Luis disse...

Olá menina,

O mar, sempre o mar, uma fonte de inspiração.

Deleito-me na força das tuas palavras.

Beijinhos

Isa

Plum disse...

Fechei os olhos e quase senti o mar, quase cheirei a maresia e quase senti o sal na minha pele!!!!muito lindo!!!*

Nilson Barcelli disse...

Continuaste a soltar as palavras muito bem.
Gostei.
Beijos.

pintoribeiro disse...

Encantatório...e o mar, pois. Boa noite, bjinho,

chuvamiuda disse...

..............
obrigado pelo apoio
voltarei na próxima semana
com calma
..............

Abraço

Mac Adriano disse...

Um poema que só poderia provir do imaginário luso ou de qualquer outro imaginário cuja História a ele o tivesse ligado. O mar sempre presente, como não poderia deixar de ser para um povo que habita uma estreita faixa litoral e que desde cedo se aventurou nos seus perigos.

pintoribeiro disse...

Bfsemana, bjinho,

amadis / pintoribeiro disse...

Gostei bastante. Bom dia.

Luiz Carlos Reis disse...

Tempo...Palavras que as ondas levam, e o vento traz como prumas.
Sempre adorei essa imensidão

Luiz Carlos Reis disse...

Tempo...Palavras que as ondas levam, e o vento traz como prumas.
Sempre adorei essa imensidão

Luiz Carlos Reis disse...

Tempo...Palavras que as ondas levam, e o vento traz como prumas.
Sempre adorei essa imensidão

Luiz Carlos Reis disse...

Opa! Minha linda!
Abraços do Oficina!

pianola disse...

Castigo final. Terror puro e duro, muitos gritos e sangue. Boa tarde TB.

legivel disse...

... o mar tem este sortilégio; o de fazer soltar as palavras apaixonadas dos amantes.

Também gosto muito de ver o mar... ao longe; que tenho um medo danado de ser levado por uma daquelas ondas gigantes e lá vou ia para os peixinhos...

Beijinhos e um o´ptimo fim-de-semana... com sorrisos!!

legivel disse...

"... lá vou ia... "?!
que ganda pancada!!

Lá ia eu para os peixinhos. Assim é que é...

A Cor do Mar disse...

Que bom, quando temos o olhar de alguem que encerra "um mar" . Gostei muito de ler
Beijinhos****

Anónimo disse...

Do mar? Só nos resta amar! :)

Betty Branco Martins disse...

O mar
fonte de inspiração - de beleza e de uma imponência que nos transmite a força do Universo!

Adorei:))

Beijinhos
BomFsemana

Silvia disse...

O mar... Onde uma pessoa pode-se perder apenas ao olhar para ele. Lindo lindo lindo! Gostei de ler.
Jinho

ALF O Extasiado disse...

Essas palavras estão à solta, se espalhando em nossos corações em nossa almas.
Palavras doces e cheias de esplendor.
Lindo TB, lindo.

;)

António disse...

Querida Teresa!
Um belíssimo post tendo como tema um dos teus favoritos: o mar.
Só ainda não percebi como deve ser lido o poema: se o verde ou o azul separados ou o verde e o azul juntos.

Beijinhos

Isa&Luis disse...

«...E dizê-lo cantando a toda a gente!»

Um beijo! Luis