16/11/06

cantiga ao mar


Que força estranha é esta que nos move?
que nos impele
que não é caracterizável
que nos faz sentir tanto
nao está catalogada pelos homens
mas...que me faz sentir tão em ti, tão tua
que me transporta
como eu te sinto em mim
Ah não te quero deixar não
fica comigo assim
esqueçamos tudo o mais
mundo nosso
ai pedacinho de mim
meu poema
meu mar e meu sol
meu encanto e meu sorriso
meu brilho
minha luz que me faz ser côr
onde me abrigo
meu calor
meu ardor de carinho
minha brisa suave
abraço-te
e percorro teu caminho
como eu sou tua...
porque te quero, te desejo, muito
queria ser o teu respirar
queria ser a peça que utilizas para trabalhar
juntinho a mim
queria ser hino
queria ser ar,

luz e movimento
queria ter asas e voar
até ti…
para que de mim fizesses tua

e de ti
fizesse meu…

29 comentários:

Bosco Sobreira disse...

Que lindo Poema. Que lição você nos ensina, em busca de encontrar essa "força", esse sentimento, esse universo que dá sentido às nossas vidas!
Parabéns, com o afeto.

joão marinheiro disse...

O mar é tudo. É canção, é fado é saudade.
O mar é memória, idas e vindas...
o mar é nada!
Abraço cheio de mar

Kaos disse...

TB:
Fui desafiado e tinha que encontrar cinco desgraçados para continuar. Como será bom conhecer um pouco mais de ti resolvi desafiar-te. Vai ver lá no WeHaveKaosInTheGarden

Kaos disse...

Tu até nos tiras o ar com a paixão daquilo que escreves. Ficamos pequenos perante a imensidão dos teus sentidos.
bjs

Outsider disse...

Fico sem palavras perante a tua sensibilidade e a beleza dos teus poemas.
Beijinhos.

P.S.- Está quase...

Nilson Barcelli disse...

Há forças assim, que também te permitem escrever belos poemas de amor.
Gostei de te ler, mais uma vez.
Beijos.

Plum disse...

"Que força estranha é esta que nos move?"
Talvez o amor, um olhar, o mar, um aroma.....há tanto que nos faz mover e por vezes nem nos apercebemos!abraços!adorei!*

PiresF disse...

Eita!

Perdeste a cabeça ou esqueceste-te de parar?
Não! Desta vez quiseste proporcionar-nos mais algumas maravilhosas palavras, mesmo que, em posição pré-nominal. Foi isso.

Mas lindo, lindo, não retirando evidentemente valor aos outros, são estes versos:

“queria ter asas e voar
até ti…
para que de mim fizesses tua
e de ti
fizesse meu…”

Cada vez melhor, cada vez melhor.

Enorme abraço.

PS: Sábado temos bisca lambida.

Francisco Sobreira disse...

Querida Teresa: Essa "força estranha" que te impele para o mar é a mesma que impele uma pessoa para outra. Estás falando, sim , para o mar, mas podias fazê-lo para o teu amor. O mar, no teu bonito poema, fica humanizado. É o que pensei ver nos teus versos. Um beijo afetuoso.

Bill disse...

É dona poetisa, linhas e linhas da mais bela poesia possível.

Simplesmente lindo...

Ter e ser no que se sente e é sentido.

Você e seus versos, soltos e sonhadores...

Beijo querida amiga,

:***

pintoribeiro disse...

Bom fim de semana, bjinho.

pianola disse...

Não é só um problema que diga respeito às mulheres.Bom dia.
Beijinho.

Josefa Pacheca Pereira disse...

Beijoca. Parece que chegamos todos ao mesmo tempo. LOl. Mas não somos mesmo os mesmos. Tudo bom.

cinza disse...

Palavrinhas curtinhas desse bambolear ondulante de brisas de carinhos na nossa pele enquanto a leitura decorre...

Plum disse...

Bom Fim de Semana!Abraços!*

Sonia R. / Sombras disse...

O blogue está lá. Bloquearam-me a password e o acesso ao blogue, nem os comentários posso publicar. Beijinho TB e um bom fim de semana.

Amaral disse...

Não apenas uma cantiga, mas também um dueto que a imagem faz ecoar no silêncio duma praia qualquer...
Que força estranha, que brisa, que encanto, que louca melodia fazes entrar pelo peito e vibrar nas tuas ondas de sonho!!!
Li e senti o mar!...

legivel disse...

... a força esteja contigo! por nos presenteares com esta interrogação em forma de poema que bem podia ser musicada e... cantada.

Jinhos e tem um óptimo fim-de-semana!

António disse...

Olá, Teresinha!
Não fora o título, e diria que tinha escrito um belíssimo e terno poema de amor para um cavalheiro felizardo por poder ter os teus favores.
Mas "Cantiga ao mar" como título levou-me a reler o que escreveste.
De facto, a tua paixão pelo mar é quasi devastadora.

Obrigado pela tua visita.

Beijinhos

Mac Adriano disse...

...e a beleza continua. Das imagens e das palavras.

Isa&Luis disse...

Será que só seremos livres quando abandonarmos biologicamente a necessidade de amar e ser amados, ou quando amar passar a ser uma necessidade amplamente satisfeita?
As tuas palavras sugeriram-me esta questão...
Um beijo!
Luis

amadis / pintoribeiro disse...

Bom fim de semana.

agua_quente disse...

Uma cantiga belíssima. Ao mar, ao amor, ao que tu quiseres que seja.
Beijos

Betty Branco Martins disse...

Olá Tb

Cantigas de [a]...mar
belo poema de amor e de aromas
que caem docemente
com a maresia feito de espuma as palavras....

Lindo

Beijinhos
BomD(:)mingo

Josefa Pacheca Pereira disse...

Os professores não querem trabalhar.LOLOLOL!!
Boa tarde.

.*.Magia.*. disse...

A fusão das almas...no calor do Amor!

Cheers

PiresF disse...

O puto voltou a passar e o mesmo post voltou a encontrar.
:)

Grande abraço.

PS: … a fruta deve amadurecer na árvore.

José Manuel Dias disse...

Deslumbrante...pq fascina.
Abraço

Anónimo disse...

Ai que lindo! lindo! maravilhoso! Um hino ao amor! o universo agradece essa maravilhosa energia que nos transmites. Paz, delicadeza cor-de-rosa e espuma branca. É o que venho neste poema maravilhoso.
Carmen