11/10/06

recordando...


Como se fosse um beijo....
encosto a cabeça na areia...e escuto o murmúrio da tua voz vinda do mar!
As ondas são o manto com que te e me afago e,

bem juntinhos, ficamos suspensos a ouvir os sons do oceano...

...tanto tempo...
O silêncio é tão denso, tão doloroso, tão intenso, tão sentido!
tão cheio de vazio
este
porque o outro, é tão o oposto....


imagem trazida do Kafe

35 comentários:

Rui Martins disse...

algumas das minhas memórias de infância são os golfinhos que via passar na praia em Tróia... Sei que hoje é mais dificil vê-los, mas a imagem dos seus dorsos a deslizar sobre as águas do Sado ficará para sempre na minha memória...

Kafé Roceiro disse...

Ficou um luxo só! Massa!Melhor aqui...

.*.Magia.*. disse...

O equilibrio está nessa grande distância entre o silêncio que faz sorrir e o silêncio que faz chorar!!!!

Kiss, ou melhor...Beijikas Majokas, que são beijokas mágicas...do lado oposto (hummm nem sei se devia deixar isto aqui escrito!...lado oposto de quê?)

Bom está dito, está escrito...

Vou...

PiresF disse...

E é nesse outro, o oposto, que residem por vezes as grandes questões.

Grande abraço.

Essa imagem, tem tudo a ver com Dali.

Belzebu disse...

Ultrapassar os meus silêncios com o apoio do mar é forma certa que encontrei!

Resulta porque o mar responde-me com uma sonoridade esclarecedora!!!

Saudações infernais!

TMara disse...

Luz e paz em teu caminhar e ao teu redor.
Bjs.

Plum disse...

Simplesmente lindo!e a imagem é fantástica!abraços cheios de magia!*

Luna disse...

há varios tipos de vasio, uns sublimes, outros nem tanto
beijos

Bosco Sobreira disse...

Você, com esse texto pleno de sensibilidade, mostra a grandeza de um povo que tem, entre os seus, imortais como Pessoa.
As tuas palavras ganharam eco em minha emoção. Obrigado, sempre.

sonia r. disse...

Em silêncio deixo um bjinho de bom dia.

pintoribeiro disse...

Bom dia, bjinho.

Kaos disse...

A imagem certa no poema certissimo. Lindo como sempre, visto deste lado ou de oposto qualquer.
bjs

gato_escaldado disse...

Silêncio, tão denso, que se escuta.

Gostei muito. Beijos

legivel disse...

Essa onda a morrer na praia em forma de lençol, é o máximo!
Com tal conforto prestado pela natureza como é que não se há-de ouvir o murmúrio da voz amada?

Abraços.

Rita Contreiras disse...

Que silêncio eloqüente e lindo! Grande abraço.

Francisco Sobreira disse...

Querida Teresa: Bonitos a foto e os versos. E embora, em geral, aprecie os teus versos curtos, gosto mais dos longos. Mas, em qualquer das formas, te mostras a pessoa sensível que és. Beijo afetuoso.

Outsider disse...

Que bonito tb. Já tinha saudades de vir aqui e sentir a beleza dos teus posts. O outro silêncio é o que nos enche a alma.
Beijos.

Carmen disse...

Uma imagem vale por mil palavras.. sem dúvida alguma deixaste-me presa à tela! Raras vezes vi uma combinação tão perfeita entre a palavra e a imagem.. entre a saudade e a memória. Esplêndido!!! Estou maravilhada!
Beijinhos de quem te adora.
(espero que ao passar por aqui, mais vezes, beba um pouco de inspiração... que é coisaque me falta há tanto tempo e da qual sinto imensa falta!!!)

pintoribeiro disse...

Bfsemana, bjinho.

Nilson Barcelli disse...

Nos teus últimos posts revelas a tua faceta poética, que se adivinhava mas ainda não tinha sido convenientemente explicitada. Agora sim...
Bom fim-de-semana.
Beijos.

Fernanda disse...

Distância. Saudade.
O silêncio é tão profundo, que por vezes ouço seus gritos...

Bjs

mitro disse...

Há silêncios que são como punhais!

José S. disse...

Adoro o ruído do silêncio. Ouve-se dentro de nós nas aldeias, longe do bulício da cidade e até o cantar dos grilos é silêncio.
Beijos.

dark disse...

tens razão. Há, no silêncio esta dualidade. Tanto pode ser esmagador como preenchedor de bem-estar.
como sou uma pessoa k ama silêncio normalmente só lhe sinto esta última vertente, mas entre humanos gera-se muito o 1º. Desconfortável 1º, pesado e insano depois.
Bom f.s
Fica bem

dark disse...

esqueci de preencher o cmapo do blog.

Isa&Luis disse...

Olá menina,

Lindo texto, onde o mar sempre o mar é o nosso confidente.


Muito bom!

beijinhos muitos

Isa

Mikas disse...

Beijokas

benechaves disse...

Oi, amiga: encostar a cabeça na areia como se fosse um beijo é um sinal de intimidade com a natureza. E isso é belo! No silêncio denso e tenso que nos carrega.

Um beijo do outro lado deste oceano de turbulência a nos separar...

Bill disse...

Dona moça...

"Como se fosse um beijo...."
Doce... Pareceu-me um beijo daqui, uma leitura agradável e prazerosa...

Imagem muito bem escolhida para fazer parte de um post lindo como esse...

Adorei...

Beijo e ótima semana pra tu querida amiga.

:****

sa morais disse...

Olá, amiga! É hora de recordar o mar e sol, especialmente num dia como o de hoje... :)

O livro já chegou ao destino? Depois diz qualquer coisa.

jinho!
Boa semana.

Kafé Roceiro disse...

so beaultiful!

Anónimo disse...

"One of these morings... it won't be very long, they will look fr me and I'll be gone..."

Patti Labelle

ALF O Extasiado disse...

Palavras doces.
Leves e amorosas.

Adorei.


beijinhos
;)

Bill disse...

Oi moça flor...
Passando para lhe deixar um beijo ^^

:****

António disse...

Querida Teresa!
Este teu "recordando..." casa na perfeição com o poema.
O poema com a imagem.
E no fim temos um resultado muito bonito, que deixa transparecer a tua grande sensibilidade e bom gosto (acho que já ouvi isto em qualquer lado).
Obrigado pela tua visita e duplo comentário.

Beijinhos