21/11/10

Com poesia no olhar...


Esperava há tanto que acontecesse um milagre. Costumava ficar ali esquecida escutando apenas.  Tinha já ouvido dizer que não havia milagres. Mas ela acreditava. Sabia no fundo de si mesma que sim, existiam, quando queremos muito.
Estava ali, parada ouvindo apenas o eco dos passos na calçada, que lhe chegavam de quem passava ao lado, sem sequer se deter para um olhar ainda que breve, perdendo-se sempre ao longe, ou o arrulho dos pombos esvoaçando por cima da sua cabeça, ou vez em quando, a criançada que por ali corria naquela alegre chilreada que lhes é tão própria.
Nessas alturas, ainda alimentava a secreta esperança de serem elas, as crianças, a realizarem o milagre. Mas não. A cada dia que ouvia estes sons, desviava ligeiramente a cortina para ver o que se passava mas, deparava sempre com aquele recorte de azulejo azulado onde se podiam ver os efeitos da marca do tempo, num passar vagaroso de dias que se transformaram em anos.
Sabia, ou melhor, suspeitava, que para além daquela parede devia haver  verdes prados salpicados de flores multicolores, mares, rios e, talvez, alguém que lhe alterasse a rotina, destino dos seus dias, que a mantinha cativa.
Tanto desejou que esse desejo se materializou.
Certo dia, aconteceu passar por lá um pescador de pérolas, com poesia no olhar, que a captou e a trouxe da parede onde jazia cativa, a ver o mar...

Foto oferecida pelo amigo JR a quem agradeço

4 comentários:

Z disse...

Bela história para uma foto tão simples.

Parapeito disse...

com poesia tambem na ponta dos dedos...lindas as palavras...para uma foto tão simples...mas lá está...que beleza tem as coisas simples!!
brisas doces para ti***

© Piedade Araújo Sol disse...

um texto suave inspirado na simplicidade da imagem.

beij

Embryotic SouL disse...

leve e fluído este texto, como o mar....=)! bj