04/07/06


Que esta minha paz e este meu amado silêncio
Não iludam a ninguém
Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta
Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios
Acho-me relativamente feliz
Porque nada de exterior me acontece...
Mas,
Em mim, na minha alma,
Pressinto que vou ter um terremoto!


(Mário Quintana)
Imagem de mil imagens

30 comentários:

Cristiano Contreiras disse...

Pressentimentos que se esvaem com a calmaria que vem depois...

Luis Carlos disse...

Olá Tb,

Muito bem escolhido o texto. Faz a diferença entre a paz mortal e a paz feliz.

O terramoto é a nossa presença neste mundo, e ele acontece quando nos sentimos vivos.

Até já,

Carlos disse...

que o "terramoto" te dê "vida"

legivel disse...

Os pressentimentos são ainda mais frágeis que os sonhos; desfazem-se em segundos. Os sonhos duram o tempo que quisermos.

bjs e um óptimo dia!

mitro disse...

Gosto imenso da fotografia!
Entre uma paz podre e uma paz feliz, tu estás na paz que antecede a tempestade!
Prefiro outra paz! Aquela que fica do cansaço da guerra, de todas as guerras...Sabes porquê?
Pois, é por causa do descanso do guerreiro!

joão marinheiro disse...

FIco sem puder dizer algo no momento. iria com certeza estragar a sensação unica
Beijo com flamingos soltos...

Kaos disse...

Espero que esse terramoto te abra novos caminhos e te leve no caminho da felicidade. É bom estarmos calmos connosco próprios e ver surgir na frente novos horizontes para conquistar.
Sê feliz acima de tudo.
bjos

Amaral disse...

Curioso o texto de Mário Quintana, que eu admiro particularmene.
No lado interior, nessa liberdade que tantas vezes ignoramos, está a essência de tudo o que precisamos. Quer para viver, quer para criar, quer para experienciar o amor...

cinza disse...

Verdade... nem semre um sorriso tem a validade sincera... mergulho intra pântano...

Fernanda disse...

Adoro Mário Quintana e o silêncio retratado por ele. Um turbilhão de emoções interiores que pode eclodir em sons a qualquer momento...

Bjs e até mais!

Fernanda disse...

Adoro Mário Quintana e o silêncio retratado por ele. Um turbilhão de emoções interiores que podem eclodir em sons a qualquer momento...

Bjs e até mais!

Um Poema disse...

A calma que precede a tempestade?
Que o teu terramoto seja, pelo menos, regenerador.
Um abraço

Bill disse...

Nha cada dia mais amo vir aqui no seu cantinho... Sempre acho a coisa certa para se ler... Sempre acho as palavras certas para pensar...
Quintana magico sempre...
Tu... Linda como sempre =]

Adoro-t
Lindo dia...
:****

Isa Calixto disse...

Mário Quintana...a dar voz aos teus pressentimentos...
...que o terramoto te traga algo do exterior com muita Vida e Amor, que se junto a uma paz interior...

Um beijinho de carinho

pintoribeiro disse...

Passei e vi/li um post de um bom gosto refinado. Bom dia,

jorgesteves disse...

Gostei desta (dupla) escolha!...

amizade,
jorgesteves

Bruna disse...

Maravilhosa escolha!!

Mario Quintana é excelente em todos os momentos...!

Beijos

Rainha de Copas disse...

Nossa.Pressentimento de terremoto é uma coisa estranha. Você não sabe se fica ou se foge. Mas no teu caso não podes fugir. Fica. Espera. Enfrenta. E depois não fica em silêncio. Fala. Grita.

Leandro Jardim disse...

Muito bons!!! Texto e imagens!!

sa morais disse...

Amiga, hoje estou furioso e triste... Deves saber porquê!

jinho.

PiresF disse...

Se melhor razão não houvesse, que evidentemente há, só para ver Quintana num blog português teria valido a pena esta visita.
Não tenho absoluta certeza, mas não me lembro de o ver em blogs deste nosso lado do atlântico.
Parabéns pela lembrança e pelo bom gosto da escolha.

Grande abraço.

Bill disse...

Dona moça linda...

Passo para lhe deixar um beijo na alma =]

Lindo dia pra tu

:***

Miriam5 disse...

Gosto muito de Mário Quintana. acho que o texto foi muito bem escolhido, a imagem é lindíssima e acompanha na perfeição.
Um beijinho

agua_quente disse...

Porque a paz que desejamos não é uma paz podre, mas aquela que propicia as necessárias revoluções interiores.
Beijos

Nilson Barcelli disse...

A paz interior pode ser apenas um acumular de forças para o tal terramoto.
Um bom poema que seleccionaste do Mário Quintana.

Beijinhos e bfs.

Isa&Luis disse...

Quantas vezes a nossa paz não pessagia um terramoto em gestação?!
Somos um mundo de altos e baixos e nem só por razões exteriores.
Que os teus momentos de paz te proporcionem a energia para suportar e ultrapassar os outros!
Um beijo
Luis

Doces Momentos disse...

Andei por aqui a ler-te e gostei muito.
Vou voltar.
Beijo doce

Bélinha disse...

Oi!
Passei para lhe dar os parabéns
pelos lindos textos e todo o seu conjunto do seu mundinho.
Passe um belíssimo fim de semana.
Um beijo desta amiga
Bélinha

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

This is very interesting site... » » »