21/03/11

Primavera!


Dobrada pela cintura,
foucinho na mão,
Cortas com desvelo
pedaços de Primavera
que carregas à cabeça
Sabes da cor
De tão preciosa carga
Não lhe conheces o nome,
Apenas o cansaço e suor
Da urze e da carqueja, conheces a flor,
Sorris,
Sabendo apenas
Que irá ser conforto de estômago e corpo
De outros seres,
Que conheces pelo nome,
e te irão um dia também
mitigar a fome.
Sorris do cansaço que negas ter,
Sorris do peso da Primavera
Que negas sentir,
Sorris apenas
E segues o teu caminho
Indiferente
Ao meu olhar que se orvalha...

Uma menina que encontrei nas minhas deambulações e a quem tirei uma foto com a sua autorização. O rosto ficou na sombra com um propósito. Por isso a coloco aqui.grata!

8 comentários:

Parapeito disse...

palavras bonitas...e a foto é uma ternura (tua)
chegou a Prima... a prima... a primane* :))
brisas mansinhas para ti****

© Piedade Araújo Sol disse...

ternura nas palavras e na fot.

beij

soli-arte disse...

linda foto, lindo poema.Beijos linda, ou deverei dizer Bonita :)?

Nilson Barcelli disse...

O poema já é primaveril e belíssimo. A foto é um achado teu, muito a propósito.
Gostei, querida amiga.
Beijos.

Rosário disse...

Imagem e poema dizem-me muito...e a forma é doce, como a Teresa sabe ser.

Beijinho

R.

Rui disse...

A Primavera quere-se a sorrir.
Pelas bonitas palavras, que como as tuas, reclamam o seu renascer.

Sandra disse...

Primavera a querer brotar nos lábios da infância...
Beijo

Mar Arável disse...

Quando a ficção se torna realidade

apetece amar melhor as palavras