18/02/11

esvoaçando 1


Bom amigo,

Entendo da tua necessidade de saber se me sinto bem. Entendo-a por mim.
Sabes que felizmente os dias não são iguais e sou pessoa de pegar numa
vassoura e vassourar nuvens negras...
Nem sempre, no entanto, temos a força necessária, para tantas agressões exteriores a nós, a que somos diariamente, sujeitos...
Mas sim, hoje o dia acordou risonho, fui à praça da rua comprar fruta, legumes e outras coisas necessárias à alimentação da família, ajudei e fui ajudada e por isso só tenho de dar graças pelo que me é dado. Além disso tenho as tuas palavras sempre amigas e ternas que ajudam a encher os dias de um pouco mais de sol...
Envio-te algo hoje, que sei e entendo pertencer à chamada cultura mas que para mim (isto é um segredo que te revelo) não tem qualquer valor. É austero e sempre que olho para esta concentração de riqueza, vejo a fome e sofrimento de tantos povos para que isto se materializasse e materialize em nome de um Deus que sendo amor, querem transformar em fausto e glória de bens terrenos.
Afinal nascemos, vivemos, morremos e tudo fica,  até que o tempo o apague na sua borracha impiedosa, dizem uns, eu direi apenas inteligente...
Sei que sou esquisita e estranha. Tenho vivido com este estigma desde tenra idade de tal modo que já me é pele,  por isso te digo este segredo por saber que me entendes e me aceitas com toda a minha estranheza,  tal qual sou.
E assim, porque hoje é sexta e amanhã dizemos adeus à rotina que tanto nos "aperreia" o viver,  te envio beijos na ponta dos dedos soprados com um sorriso
para que o dia te seja um pouco mais...

Com amizade, até outro momento

TB


foto de uma catedral de Milão

17 comentários:

Anónimo disse...

Não me parece estranha... mas muito sábia. E terna.
Beijinho.

Rosarinho

Anónimo disse...

És única! Só um Ser com a tua essência, tem a capacidade de "vassourar as nuvens negras"...
Rendi-me a este "segredo".
Parabéns, querida Teresa, pela sensibilidade que flui dentro de ti.
Beijinho

Et

Parapeito disse...

deixo um sorriso...e o desejo de um sábado cheio de brisas mansas...

tb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Isabel Mendes Ferreira

Isabel escreveu: "estive lá. tenho aliás uma ft de "album" com o meu filho....:) naquele dia a tua carta não tinha ainda chegado. se sim com toda a certeza estaria num placard à esquerda assinalada como "oração dos bem vindos e amados"_________________porque da estranheza da vida todos somos filhos. gostei. da próxima vez que estiver lá escrevo: olá Teresa .....conheço.te____________________ boa tarde TB. ________________________________fecho a porta. de mansinho. obrigada."

AnaMar (pseudónimo) disse...

"Há palavras que nos beijam, como se..."

Há cartas que são escritas, como se cada um de nós fosse o destinatário.

E há cartas que parecem ter sido escritas por nós.

Esta é tudo isso

Rui disse...

Boa amiga,
Entendo a tua necessidade de exteriorizar esse teu estigma na fé cega ao “preço do ouro”.
Também eu me sinto esquisito e estranho aos “valores” desta sociedade em desintegração.
Mas quando o dia acorda risonho, por entre as nuvens negras que se vão dissipando, renasce em mim a esperança de se (poder) ser sem se pertencer.
Foi com esse espírito que li esta tua “carta aberta” ao destinatário de cada um.
Cabe-nos a nós fazer de “Deus” algo mais do que uma catedral fria como a pedra onde foi edificada.
Cabe-nos a nós ver “Deus” para além das paredes e dos estigmas edificados pela ganância humana.
Quando se ajuda e se é ajudado, quando se descobrem palavras ternas que “enchem o sol com os nossos dias”, deve-se dar graças pelo facto de se ser estranho ao que não se dá valor.
Assim, foi com prazer que li o que, sem escreveres, disseste.
(Re) lendo nas tuas palavras… (in)confidencias sábias.
Com o “segredo” da mestria!

alice disse...

certamente que o dia foi um pouco mais, eu diria mesmo que o dia do seu amigo foi muito mais, depois de ler esta carta :) um grande beijinho*

Nilson Barcelli disse...

Cartas assim, não é qualquer um que as escreve...
Gostei imenso, porque levantas a ponta do véu que te cobre...
Querida amiga, bom resto de Domingo e boa semana.
Beijos.

§ØÜ Ü/\/\ §ØѦ¬¦Ø Ѐ /\/\€ÑÎÑÅ disse...

nossa...amei seu blog... se puder me siga também www.restosdelcorazon.blogspot.com bjux

© Piedade Araújo Sol disse...

T.

uma carta profunda.

e estranha não és (apenas não existes, no bom sentido, eu sei que entendes o que quero dizer.)

beij

Eli disse...

Dar graças ao que temos... família...

Mar Arável disse...

Uma bela carta de amor

Graça Pires disse...

Gostei muito da carta. Até me senti que podia ser eu a recebê-la...
Um beijo, amiga

Eduardo Aleixo disse...

também te aceito como és.
o importante é sermos como somos.
o essencial é esta batalha em procurarmos e encontrrmos o nosso rosto.
gostei do ler-te.
brigado pela tua visita ao À Beira de Água

Francisco Sobreira disse...

Cara Teresa,
Sei que já disse isso, e provavelmente mais de uma vez, mas comto com a sua benevolência em aceitar a minha repetição. Mas o caso é que sempre que venho à sua casota, saio dela com a alma satisfeita por encontrar coisas tão bonitas e bem escritas, como esse texto. Mas me permita acrescentar que fiquei surpreso em você se dizer "esquisita e estranha". Não é essa a impressão que tenho de você, nesse nosso "convívio" de bem uns 4 anos. Aceite o meu beijo afetuoso.

Rolando Palma disse...

Ao verdadeiro destinatário, a verdadeira interpretação. A todos os outros, a suave brisa das palavras...

Tudo de bom para ti,