23/01/11

A Pastora de Palavras


Tinha nascido menina bela, com uns olhos onde cabiam todos os mares, a cabeça adornada de belos cachos loiros como uvas maduras beijadas pelo sol do Verão, um sorriso mais brilhante que o mais belo luar de Janeiro e uma doçura que encantava o bosque onde nasceu.
Tão bela criatura tinha de ser abençoada.
No bosque viviam as fadas, seres encantados que apenas as crianças viam e ouviam, e que tinham poderes especiais que davam aos meninos que se portavam melhor , obedientes aos pais e amigos de todas as criaturas do Bosque.
A bela menina, andando por ali distraída vendo as flores e as borboletas que com todas aquelas cores, quase se confundiam com elas, ouviu uma vozinha falando baixo e suavemente que lhe disse:
- Linda menina, eu sou a tua fada madrinha, vim porque tenho um poder especial para te dar. O que queres ser durante a tua vida?
A menina, apanhada de surpresa, ficou calada. Ela gostava muito de ver os animais do Bosque, as flores, as borboletas, as árvores, os tapetes de musgo verdinho no Inverno, e sobretudo os rebanhos de ovelhas e cabras que costumava apreciar pela orla do bosque como pontinhos multicolores destacando-se do resto da paisagem, enquanto o pastor encostado ao seu cajado, por ali ficava olhando a paisagem e o seu rebanho conversando com os cães pastores e lhes assobiava para juntar os animais. Então a menina disse à fada:
- Quero ser pastora!
A fada ouvindo aquele curioso pedido, disse-lhe:
- Assim será! No entanto serás Pastora não de animais mas sim de Palavras. Dito isto, tocou-lhe com uma varinha que tinha na mão, mais parecendo uma estrela de tão brilhante, e foi-se embora.
A menina ainda mal refeita da surpresa começou a apalpar-se para ver o que tinha mudado e não encontrou nada diferente.
Passou o tempo, a menina foi crescendo,saiu do bosque para outro local e foi para a escola. Estudou muito, sempre estudiosa e dedicada começando a sentir um gosto e carinho especial pelas palavras.
A paixão foi crescendo à medida que o tempo passava e a menina se ia tornando adolescente e mulher e de tal ordem a foi acompanhando que se tornou uma escritora ímpar.
Viajou, conheceu outros países com pessoas diferentes e modos de vida diferentes, sempre com o afã de saber mais e adquirir mais conhecimento enriquecendo assim a sua existência e essência.
Quando se sentava para escrever as palavras nasciam em cascata do seu pensamento e passavam pelos dedos como rios. Senhora conhecedora do visível e do invisível, do dizível e do indizível, dos mistérios de deuses e anjos, e da imensidão entre o céu e o mar, tudo sabia e tudo escrevia, como se dentro dela todas as fadas encantadas tivessem morada e todas as estrelas fossem sua morada.
E eu que tive o privilégio de a conhecer  e de me encantar com a sua escrita sublime, com a sua forma de ser humilde, com o seu sorriso meigo, doce e algo envergonhado, quase pedindo desculpa por existir, faço este pequeno registo, antes que chegue o dia em que a folha que sou caia e se dilua na finidade dos dias, para que a memória não se perca pelos tempos...


Dedico estas palavrinhas à Pastora de Palavras,autora das pérolas cuja capa trago aqui, e de outras iguais. 
Com toda a minha estima, amizade e gratidão.

14 comentários:

Anónimo disse...

a menina que teve uma fada madrinha bonita como a teresa que assim lhe dá a benção e carinho principais. gostei muito deste conto que regista o dom especial do afecto sem cobranças. o mais raro entre os humanos. tenho uma certa tristeza com o último parágrafo porque sinto uma evasão como se fosse um sinal de adeus. e essa melancolia prematura é contraste dos bosques tão cheios de vida e natureza... um beijo

alice

Anónimo disse...

abraço. grato. muito.

porque há palavras que em determinados dias são especiais.


obrigada T de T.



imf.

Parapeito disse...

:))***
brisas doces para ti.

Z disse...

Tu és a fada madrinha.
beijo
Z.

Sandra disse...

Ao longo da vida são várias as portas com que nos deparamos, mas existe uma que depois de aberta permite que muitas outras se abram mais facilmente. Essa porta é a do conhecimento!
Esta menina não parou de procurar o saber, de se questionar e por isso abriu portas para que as palavras voassem e pairassem sobre o seu rebanho...
Gostei muito do conto.
Uma simples e encantadora prova de amizade.
Beijinhos
Sandra Subtil

Bill disse...

E tinha me passado despercebido essas belas palavras a uma das pessoas mais doce e bela que ja conheci, com a grata alegria de estar a mesa com pessoas que me são tão queridas como tu e Pires.

Sim eu concordo, embora não precise concordar com suas palavras, já que elas por si, falam toda verdade. Essa menina bela, elétrica é um encanto, não só para as palavras mas para todos que tem o prazer da sua companhia. Com olhos de ler a alma, ela é mágica.
Há coisas que nem mesmo o tempo devora...

Beijo querida Teresa, beijo querida Isa.

:*

Et disse...

Uma história de encantar, onde reina a amizade incondicional e a cumplicidade...

Beijo à "Pastora das Palavras" e à
"Fada Madrinha".


Et

Nilson Barcelli disse...

Depois do que já te disse acerca destes contos, digo apenas:
Continua.
Estás no bom caminho.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Rui disse...

É bom saber que neste "bosque" feito de lobos e de monstros, de crueldade e de ciladas, ainda existem fadas e seres encantados, sonhos e esperança.
Maravilhosa história, ao melhor estilo dos contos que se ouviam da boca das nossas avós no tempo em que a televisão(leia-se RTP) tinha o seu epílogo ao raiar da noite, no hino desta pátria feita de aldeias rodeadas de bosques e de fábulas.
Escrita por uma "pastora de ideais" com uns olhos onde cabem toda a amizade desta floresta que é o nosso Mundo.

Graça Pires disse...

Uma história de encantar a respeito de uma pessoa encantadora que escreve de forma encantatória.
Bonita e sensível homenagem. à qual me junto. Posso?
Um beijo.

Mar Arável disse...

Tudo muito belo
O texto e a dedicatória
A nossa Isabel merece tudo

Grato pela viagem encantadora

Bj

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, passei para te desejar um bom resto de semana.
Um beijo.

AC disse...

É uma dedicatória bem justificada, pois Isabel Mendes Ferreira é uma grande poetisa.

Beijo :)

Anónimo disse...

Apesar de ser um comentário no FB quero, pelo seu significado, que fique aqui.agradecida.

tinha hoje dito a alguém que não viria ao fB. mas claro fiz a minha ronda pelos sítios especiais. e aterrei neste "bosquejo" onde me fizeste personagem central. não podes (-........-) saber como HOJE me foi particularmente raro e especial e...este teu pastoreio....não podes mas talvez....:)

fico de cabeça curvada. tímida e tão grata que

"antes que chegue o dia em que a folha que sou caia e se dilua na finidade dos dias, para que a memória não se perca pelos tempos..."
te plagio e antes que________________eu vire pó
só posso dizer OBRIGADA. TERESA BONITO pelo que és e dás.

.
afinal valeu a pena. muito dos dias vividos. muitas das palavras escritas. e sobretudo há pessoas que nos salvam o momento.

beijo.