20/11/15

Renda dos dias

Teci a colcha com fios de espuma
para que o mar a levasse
mas o mar, no seu vagar
deixou-a estendida na praia
para servir de manto a quem passar...

6 comentários:

AC disse...

O mar, no seu vagar
É discreto na mensagem
Colchas destas, delicadas
Não colam em quaisquer pegadas
Só nos poetas, de passagem...

Uma belíssima imagem, inspiradora, capaz de seduzir qualquer alma...!

Um bom final de semana :)

heretico disse...

muito bonito. adorei

simplicidade e beleza "casam" muito bem

mas são difíceis de atingir...

beijo

Jaime Portela disse...

Um belíssimo poema, apesar de pequeno.
Gostei imenso, minha amiga.
Teresa, tenha um bom fim de semana.
Abraço.

Jaime Portela disse...

PS: esqueci-me de dizer que a foto ilustra o poema na perfeição. E vice-versa...

Mar Arável disse...

Por sobre as águas

Bj

Parapeito disse...

palavras e poema tao , tao bonito.
Brisas doces ne*