01/05/11

leveza...

Sabes mãe, onde te vejo quando a saudade bate assim, daquela que parece não caber no peito?
Ali, na leveza da flor que secou e basta apenas um ligeiro sopro para se elevar desaparecendo no ar, tal como tu...
E hoje, neste dia em que um pouco por todo o mundo festejam aqueles que ainda fazem acontecer a magia, dizem ser também dia de todas as mães...
talvez porque também as mães sejam um dos motores fundamentais do mundo?
Então interrogo-me assim, como sempre me conheceste a interrogar:
Se é tão importante o dia da mãe, porque andam sempre a mudar-lhe a data? O dia do pai, é sempre em data fixa. 19 de Março e nada mais!
Terá alguma coisa a ver com o poder do dinheiro, senhor de todos os dias?

4 comentários:

Parapeito disse...

Adorei :
"Sabes mãe, onde te vejo quando a saudade bate assim, daquela que parece não caber no peito?
Ali, na leveza da flor que secou e basta apenas um ligeiro sopro para se elevar desaparecendo no ar, tal como tu..."
Para ti que és um Grande mãe...deixo um abraço de mel :)***

Mar Arável disse...

Do ventre

até à foz

sem dia marcado

Rosário disse...

Ser mãe está tão para lá dos dias... De todos. Dos que passaram, dos que hão-de vir...

Beijinho TB! Todos os dias...

RA

Eduardo Aleixo disse...

Deixa lá, Teresa, que faz mudarem o dia, as horas, os segundos, que é isso face à imutabilidade da grandeza do Regaço da Mãe, que vai do Céu à Terra?
Doce Regaço.
Pingo de Mel, lhe chamaria a Parapeito...
Beijo doce.