03/12/10

pescador de reflexos e sonhos


O sol quase desaparecia já no horizonte. O pescador saltitava de pedra em pedra, equilibrando-se em cada ravina, pico, ou onda para captar o melhor reflexo.
Por vezes ficava parado, olhando apenas. Esperando que a maré lhe trouxesse a tão desejada pescaria que há muito almejava.
Naquele dia, queria apanhar o sol a espreguiçar-se sobre o mar entregando-se nas ondas e nelas desaparecendo feliz.
Tão absorvido andava no seu intuito que nem se apercebeu de um serzinho minúsculo que o olhava e seguia atentamente todos os seus movimentos.
Nisto, uma onda, mais ciumenta dos reflexos do céu a espalharem-se reflectidos na água que beijava lentamente a areia e preguiçosamente se deixava escorregar,  lentamente como que a desafiar o olhar e atenção do pescador, de tal forma que se confundiam o chão com o céu e o obrigava a concentrar-se nelas, como se tudo à sua volta desaparecesse, levantou-se, revolta e splash! – molhou-o todo.
Enquanto torcia as roupas encharcadas, o pescador viu os reflexos do sol, desaparecerem escurecendo o dia e deixando antever uma figura em forma de nau vagueando pelas nuvens.
Assim, enquanto olhava estupefacto à sua volta, reparou na criatura ínfima sentindo um estremecimento interior.
- Quem és tu, perguntou ele contendo a admiração.
- Sou um ser que vive no mar e nas nuvens e que gosta de te vir admirar no teu afã de pescar sonhos, nuvens, reflexos do céu no chão e no mar, respondeu o ser.
- E o que estás aqui a fazer? Nunca te vi em outras vezes, tantas que por aqui ando.
- Sempre estive e estarei aqui, respondeu o ser. Sou o teu sonho e por isso te acompanho sempre.
- Então porque só agora me falaste e eu te vi?
- Porque foi hoje que te descuidaste com a onda ciumenta e eu vim para te acudir – respondeu, continuando:
- Vês aquela nuvem que forma uma nau? – é onde eu me desloco normalmente quando me quero dar a conhecer. Vim buscar-te. Tenho lá um banho quentinho, com algas do mar e sais do céu, para te aquecer e onde poderás realizar os teus sonhos enquanto quiseres e continuar a pescar reflexos, pedaços de céu-mar e sonhos...

Foto de Z. a quem agradeço a amabilidade

11 comentários:

Z disse...

Obrigado por escolheres a minha foto para o teu mais belo texto.
beijo

Anónimo disse...

Construiste com belas metáforas e numa atmosfera apetecível (divina), a "viagem" dos sonhos, repletos de luz, em intensa fusão com o céu e o mar, transportando o leitor para outra DIMENSÃO, onde apetece ficar.

Beijinho, Teresa

Et

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, o teu conto é fabuloso.
Se conseguires escrever uns 20 neste tom, procura uma editora. Vão pagar-te para poderem publicar, tal é a qualidade da tua escrita.
Estou a inmaginar o teu livro com contos ou histórias deste tipo e com ilustrações (talvez desenhos).
Tens andado distraída...
Um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

uma onda ciumenta....

gostei muito do texto T.

beijinh

Rui disse...

A melhor hora que um pescador pode ter é quando o sol "quase" desaparece no horizonte.
Assim como a melhor companhia que um pescador pode ter é aquele "serzinho minúsculo" que o olha sem ser olhado.
E melhor que uma pescaria ao por do sol com a companhia dessa "criaturazinha" esplendorosa só mesmo a leitura deste magnifico conto.
Que merece continuação!

Bjoka

Graça Pires disse...

Gostei deste "pescador de reflexos e de sonhos"...
Um beijo

Mar Arável disse...

Belo texto por onde apetece ficar

a pescar sonhos

Bjs
dinei

AC disse...

Todas as almas sonhadoras necessitam dum anjo, dum porto de abrigo...
Belo!

Beijo :)

Nilson Barcelli disse...

Vim à procura de mais...
Querida amiga, boa semana.
Um beijo.

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, volto a passar para te desejar um Natal muito feliz.
Beijos.

Anónimo disse...

a amizade é mesmo um rio que corre. escorre.






pescadora de sentimentos. Tu.


beijo.


e claro o Z. tb sempre Luz.


imf