17/06/10

poesia vinda das estrelas...


hoje apetece.me rosas

e silêncio e
e ampla intuição
para colher as horas como se fossem feno ou
apenas pó___________ a dilatação da
língua não chega para ser impulso ou hipnose
hoje só quero ser restante
a sós.
e

_______________ r.o.s.a.s ____________e


desço-me. em nome próprio do êxtase. declaro que é folha breve mas cintilante a que filtra a transparência. sem celebrações pânicas. apenas ida das inacessíveis rosas que se perfilam como um ventre. mátreo. manto de essências__________ a única eternidade.







In As Lágrimas Estão Todas na Garganta do Mar.
 


Um "cheirinho" de estrela que roubei ao Pires F., obra que se pode adquirir na livraria Almedina ou na net em:

http://www.almedina.net/catalog/product_info.php?editoras_id=&products_id=10659

5 comentários:

Graça Pires disse...

Um poema fantástico da Isabel. Irei comprar o livro assim que puder.
Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

este poema da Isabel é muito bom,aliás como são todos os outros.

bem "roubado"

beij

Mar Arável disse...

Da Isabel

pois claro

Bj

Francisco Sobreira disse...

Querida Teresa,
Não só pela amostra desse poema, mas também por ter o seu aval, faço fé nesse livro. Mudando: soube, há pouco, da morte de Saramago. Li uns 5 ou 6 livros dele e gostei. Uma pena, mas é a vida. Um beijo e um excelente fim de semana.

PiresF disse...

Um livro que marca a diferença, um livro extraordinário.

Beijos, Teresa.