05/04/18

Sou...

Sou
disforme e depois?

Foram os anos que por mim passaram,
mãos humanas que me queimaram
virando as costas indiferentes
à forma como me desfolharam...
Sou
um tronco à espera
ainda que só na despedida
abençoada Primavera
faça o milagre tão desejado
espalhe nas minhas veias,
gota a gota a seiva amada
que de novo se transforme em vida...

7 comentários:

Mar Arável disse...

Tudo se move
até o vento
Bem-vinda

Graça Pires disse...

Que a Primavera consiga enfeitar a árvore...
Uma boa semana.
Um beijo.

Jaime Portela disse...

Tudo vai passando.
Os anos, as formas...
Mas há muita coisa que fica e que chega.
Belas palavras, parabéns.
Continuação de boa semana, amiga Teresa.
Beijo.

jorge esteves disse...

Esse é o milagre que nos devia espantar todos os dias...
(e gosto do teu poema, sim!)
abraço.

jorge

Alquimia dos Sentidos disse...

Há sempre o renovar e a primavera traz-nos esse sorriso da renovação.

Aproveito para divulgar o meu novo blogue que vesti de verde, a cor das florestas por onde gosto de me "perder e encantar".

https://sentidosdealquimia.blogspot.pt/

Um beijinho

Fanny Costa

jorge esteves disse...

Qu'é se de ti?...
Benhe e com um xorriso, e antão 'tá benhe, diz-me lá para riba, no Minho.
abraço!
jorge

jorge esteves disse...

Diz que andas, porque se andas, ond' andas?
abraço.
jorge