14/04/14

Sementes de Abril



Quando nasceste
Trazias em ti a semente da liberdade
Liberdade de dizer
Liberdade de fazer
Liberdade de descobrir
Caminhos há muito fechados.
O solo estava fértil, sequioso, ávido
Para te acolher
E tu germinaste
Abriste-te em flor
E foste
Música há muito calada
E foste obra
Há muito censurada
E foste criança
Estendendo braços
Há muito dobrados
E foste rio, mar
De gente
Que em praças, largos
Ruas, avenidas
se manifestava
e foste pão, paz, escolas, estradas
abertas, escancaradas à evolução.
E foste tanto,
E deste tanto
E fizeste tanto
Homem Grande
E inimigos também
Estes, de morte,
Que por todos os meios
Te procuram calar
Silenciar
Abafar
Atrofiar
Aniquilar
Atolar
Sufocar
Pouco, a pouco
Lentamente
Para que te não possas defender
E agora,
Jovem adulto
Te vemos aos poucos morrer
Sem que àqueles que te deram vida
Seja possível falar
Na casa a que chamam da democracia,
Que ajudaste a criar.
que as sementes que geraste
Voltem a germinar
E corram para bem longe
Com aqueles que te querem
De vez, matar!

7 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

É um belo poema, ode à esperança amordaçada. Mas não morta.
Aqui deixo uns Versos de António Aleixo:

" Quem prende a água que corre
É por si próprio enganado.
O ribeirinho não morre,
Vai correr por outro lado. "
Beijo.
Viva Abril.

Mar Arável disse...

Não há morte para o sonho

Bjs

O Puma disse...

Pelo sonho é que vamos

© Piedade Araújo Sol disse...

um grito a lembrar o sonho que não pode nem deve morrer.

e viva Abril mesmo que os cravos já estejam murchos.

:)

Graça Pires disse...

Um poema que é um grito de mágoa.
Há que ter esperança. A Liberdade é o nosso maior bem...
Beijo e Boa Páscoa.

Nilson Barcelli disse...

Abril não pode morrer.
Excelente poema, gostei imenso.
Faz mais poesia, tens talento.
Teresa, querida amiga, espero que a tua Páscoa tenha sido muito boa.
Tem uma óptima semana.
Beijo.

Parapeito disse...

não basta sonhar ... h+a que semear para que o sonho floresça...é preciso fazer...é preciso acreditar...
Gostei deste teu Sementes de Abril***
abraço e brisas doces ***