25/04/10

Liberdade

Ai que prazer

Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
.
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.
O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.


E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...
.
Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.
Quanto é melhor, quanto há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!
Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.
.
O mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...
Fernando Pessoa, Poesias.

6 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

uma boa escolha para comemorar Abril.

a foto é bem expressiva da Liberdade.

beij

Francisco Sobreira disse...

Querida Teresa,
Como nos faz bem, nos dá prazer, nos eleva, ler grandes mestres como esse extraordinário Pessoa. Nada melhor pra se suportar as mazelas da vida. E uma segunda, sempre o dia mais chato, mesmo quando não mais se precisa ir ao trabalho. Um beijo e uma excelente semana.

Lolzinhah disse...

Oii amei amei!!!Esse blog tá lindo!Passa no meu comenta e se gostar segue.Bjuux =*(tô seguindo)

Nilson Barcelli disse...

O meu poeta favorito...
Este poema não será dos melhores que ele escreveu, mas é um grande poema.
Querida amiga, deixo-te um beijo.

L disse...

O rio corre e o sol doira. E é tudo!

Parapeito disse...

...entre tantos dele...é dificil a escolha
Gostei de o ver por aqui
brisas frescas***